quarta-feira, 28 de maio de 2014

De mãos abertas


Se eu pudesse,

Tocava o teu rosto em silêncio

E falava-te do mar,

Deixava tombar os meus cabelos

Sobre o teu ombro

Como uma bênção

E fechava os olhos

Consciente de ser em ti

Como um salgueiro.
***
(Ana Brilha)

2 comentários:

Alexandrino Sousa disse...

Olá Cristiana,

ainda bem que voltou a postar páginas de poesia.. Muitas vezes venho até aqui e ler autores tão diferentes...

Bjinho
Alex

Cristiana disse...

Olá, Alex.

Obrigada eu por visitar este meu/vosso jardim. Fico contente que volte e lhe dê prazer ler autores diferentes e outros que nem tanto.

Beijinho e obrigada uma vez mais.