domingo, 16 de agosto de 2009

Que é voar?


Que é voar?
É só subir no ar,
levantar da terra o corpo, os pés?
Isso é que é voar?
Não.

Voar é libertar-me,
é parar no espaço inconsistente
é ser livre, leve, independente
é ter a alma separada de toda a existência
é não viver senão em não - vivência

E isso é voar?
Não.

Voar é humano
é transitório, momentâneo...

Aquele que voa tem de poisar em algum lugar:
isso é partir
e não voltar.
***
(Ana Hatherly)

5 comentários:

Wild disse...

Parabéns pela escolha do tema :)

É dos temas que mais me fascinam.

Não existe uma definição, não existe um sentimento, não existem conceitos pré-estabelecidos.

Existe uma mistura deliciosa dos sentidos.

Para mim voar é ser um Fernão Capelo Gaivota.

:)**

^º^

CosmaShiva disse...

Vim aqui ter.. por um mero acaso, meti por 'ruas e ruelas' e encontrei o teu cantinho :)

Parabéns pelas palavras.. pela poesia.. e pela essência.

Beijinho e sorriso.. (Deixo a porta encostada.. para voltar mais vezes):)

Cristiana disse...

Wild,

Obrigada pela visita e pelo comentário.
Concordo consigo e não deixa de ser curiosa a sua referência a Fernão Capelo Gaivota...
Pergunto-me se "gaivota" é algo que o persegue (no bom sentido,claro...rs)

:-)

Cristiana disse...

CosmaShiva,

E eu fico contente que o tenhas encontrado e voltes sempre :-)

Obrigada. Um beijinho e um sorriso para ti também :-)

Wild disse...

Para ser sincero, sou eu que persigo a "gaivota".

:)

^º^