segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Chove


Chove...
Mas isso que importa,
se estou aqui abrigado nesta porta
a ouvir a chuva que cai do céu
uma melodia de silêncio
que ninguém mais ouve
senão eu?
Chove...
Mas é do destino
de quem ama
ouvir um violino
até na lama.
***
(José Gomes Ferreira)

6 comentários:

prosasdeoutono disse...

Olá Cristiana,

Lindo poema, que eu não conhecia.

Beijos
Alex

josé luís disse...

por aqui também chove...
e também ouço violinos. ;-)

Cristiana disse...

Alex,

obrigada por mais uma visitinha :-)

Cristiana disse...

José Luís,

então não é que aqui também?! rsrs
Chove e eu ouço violinos. :-)

josé luís disse...

não é um comentário, é apenas porque creio ter mandado o meu comentário duas vezes...

mas aproveito para mais uma vez lhe agradecer o seu "feed" contínuo de poemas, cujas palavras por vezes nos salvam o dia.

Cristiana disse...

José Luís,
realmente repetiu mas só publiquei um :-)

Não tem porque agradecer, eu é que tenho a agradecer as suas visitas.
Fico contente que encontre por aqui algumas palavras que, além de belas, acabem por se tornar úteis.
Acontece o mesmo comigo em muitas das escolhas que faço.

Volte sempre.